Páginas

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Travessia Travessão Cabeça de Boi


Travessia Travessão - Cabeça de Boi
Cachoeira das Maçãs e Complexo do Entancado
Nível Médio/Difícil



Leia também:
Cabeça de Boi - Primeira Visita (de carro)
Cachoeiras em Itambé do Mato Dentro
Travessão, Cachoeira dos Espelhos e Cachoeira de Deus

Introdução
A Travessia entitulada Travessão-Cabeça de Boi não é uma Travessia tradicional. Não existem registros na internet sobre essa travessia. O propósito dela é atravessar desde o alto da Serra do Cipó até chegar no distrito de Cabeça de Boi.

É uma travessia tranquila, de 2 dias. Não há grandes obstáculos nestra travessia.
Neste artigo mostramos o traçado que fizemos da Serra até o distrito de Cabeça de Boi e comentamos os atrativos que escolhemos conhecer em Cabeça de Boi.

Atenção:

Os Caçadores de Cachoeiras atuam em parceria com o Parque Nacional da Serra do Cipó, no Voluntariado - Linha Temática Apoio de Implementação para Uso Público. Nosso trabalho é cuidar da manutenção de trilhas e monitorar áreas do parque, cuidando de sua preservação e reportando possíveis ameaças ou irregularidades.

Parte desta travessia atravessa áreas do Parque Nacional, sendo necessária autorização.

Quer saber como obter autorização? Fale conosco. Não é complicado.
Realizar a trilha sem autorização pode acarretar multas.


Resumão do Passeio:

Duração2 dias
Nível de Dificuldade
Preço Gasto (com logística condução Pública)R$90,00 + 1 dia de comida
Atrativos

Este post tem as seguintes seções:
1.Atrações
1.1.Outra atrações (não conhecidas neste passeio)
2.Como Chegar e Como Voltar
 2.1.Breve Descrição
 2.2.Logística
    2.2.1.Diagrama-Resumo
    2.2.2.Tabela DTPM de Trechos (Distância-Tempo-Preço-Meio)
    2.2.3.Descrições dos Trechos
    2.2.4.Situação das Estradas
 2.3.Trilha
    2.3.1.Breve Descrição
    2.3.2.Ficha Técnica da Trilha
    2.3.3.Detalhes da Trilha (em partes)
    2.3.4.Tabela DTE (distância-tempo-elevação) - por partes
    2.3.5.Pontos de Referência
 2.3.Mapa
3.Preços
4.Simulação TP do Passeio (Tempo-Preço)
5.Cabeça de Boi - A Vila
5.1.Pernoite
5.2.Placar da Estadia
6.Placar das Atrações
7.FAQ
8.Dicas
9.Relato da Trilha


1.Atrações
Mirante do Travessão (Serra do Cipó)
 
 É o famoso Cânion no alto da Serra. O mais comum é conhecê-lo apenas através de uma de suas pontas, já que a entrada no meio dele é muito complicada, e não tem trilhas. Fica dentro do Parque Nacional da Serra do Cipó.


Pinturas Rupestres (Serra do Cipó)
 No caminho para o Mirante do Travessão passa-se por pinturas rupestres, muito próximo a trilha. Vale para tirar uma foto - atrativo de passagem


Cachoeira das Maçãs (Cabeça de Boi)
  
Singela e protegida cachoeira que fica no distrito de Cabeça de Boi. Não fica dentro de nenhum parque mas é mantida por propriedade particular, que cobra a entrada. Tem um poço muito bom para banho.


Complexo do Entancado (Cabeça de Boi)
 
 É uma parte do leito do rio que passa pelo Distrito de Cabeça de Boi. Esse complexo é um conjunto de pequenas quedas e poços muito bons para banho. Fica na mesma área que Cachoeira das Maçãs.



1.1.Outras Atrações
      que não escolhemos neste passeio

Cachoeira do Chuvisco (Cabeça de Boi)
 é uma pequena cachoeira com um pequeno poço. Bom para refrescar rapidamente, mas não é pra ficar muito tempo não. Atrativo de passagem.

Cachoeira dos Espelhos (1o. dia)  (Serra do Cipó)
  Cachoeira próxima ao Canion do Travessão. É uma opção pra quem tiver mais tempo. (parada intermediária)


2.Como Chegar e Como Voltar
2.1.Breve Descrição
Em nossos posts, nós deixamos separada a logística para chegar ao ponto inicial da trilha (seção Logística) da trilha em si (Seção Trilha). No caso desta travessia, existe uma parte do passeio em que parte da logística pode-se transformar em trilha , que é a parte (no segundo dia) que vai da área das Cachoeiras até Itambé do Mato Dentro. É porque essa parte só consegue-se fazer no modo “logística”se você conseguir uma carona por lá. Se não conseguir carona, vai ter que fzer no modo “trilha” a pé mesmo.
Para evitar confusões, informamos que consideramos como trilha, neste artigo, apenas a parte entre Travessão (inicio da trilha) e a área de cachoeiras. A parte entre Área de Cachoeiras e Itambé do Mato Dentro nós consideramos como parte da logística (mesmo se for o caso de você fazê-la a pé). Isso é importante para que não haja confusão entre as distancias informadas em cada seção deste artigo.


2.2.Logística
2.2.1.Diagrama:




2.2.2.Tabela DTPM de Trechos

OrigemDestinoDistância (km)Preço (R$)TempoMeio
ABelo HorizontePousada Duas Pontes12029,002h30minBus
BÁrea de CachoeirasCabeça de Boi4,950,00de 15min a 2hPé ou Carona
CCabeça de BoiItambé do Mato Dentro9,500,00de 20min a 3hPé ou Carona
DItambé do Mato DentroBelo Horizonte1193hBus

*A Tabela DTPM de trechos mostra as distâncias, tempos gastos, preços e meios de transportes de cada trecho da logística.

2.2.3.Descrição dos Trechos:
Ida: Trecho A
Volta: Trecho B + C +D  
Saindo da rodoviária de Belo Horizonte, pegue o ônibus que vai para Conceição do Mato Dentro mas ao comprar o ticket, avise que vai descer na Pousada Duas Pontes (para pagar menos). Desça em Duas Pontes. Faça a trilha toda até a área das Cachoeiras em Cabeça de Boi (1o dia).
Depois de visitada as cachoeiras (na manhã do segundo dia), não deixe de sair depois de 11h. Saia no máximo 11h em direção a Cabeça de Boi e então Itambé do Mato Dentro. O pior cenário é fazer esse trajeto todo (até Itambé do Mato Dentro) a pé. E lá, na cidade, pegar o önibus de volta para Belo Horizonte. O ônibus sai as 17h. É horário único! Obs: ligue para a empresa para garantir que o seu onibus  sai no seu dia planejado!

Trechos de ida:
Trecho A - Belo Horizonte - Serra do Cipó (Pousada Duas Pontes) -  (de ônibus)
Super tranquilo pegar a linha de ônibus Serro, saindo da rodoviária de Belo Horizonte (centro). É o ônibus para ir para Conceição do Mato Dentro. No guichê, fale que você está indo para o alto da Serra e que vai descer em frente a Pousada Duas Pontes. No önibus, dê o sinal e avise o motorista onde quer descer, eles te deixam exatamente na frente da Pousada Duas Pontes.
Se não souber onde fica a Pousada lá em cima, marque no gps, ou avise o motorista. Pode acontecer de o motorista não saber exatamente onde é essa pousada, dê como referência o início da trilha de Travessão também

Observações Importantes: A única empresa de ônibus que conhecemos que faz o trajeto de ida te deixando no ponto inicial da trilha é a empresa Serro. E atualmente ela oferece dois horários interessantes pra quem quiser fazer esta travessia: 6h e 7h30min da manhã.

Trechos de volta:
Trecho B - Área das Cachoeiras - Distrito de Cabeça de Boi
O fim da trilha acontece na área das cachoeiras. Daí, chega a parte incerta do seu passeio. Da área das cachoeiras até o ponto de ônibus em Itambé é um longo caminho de estrada de terra. O ideal é dar a sorte de conseguir uma carona. Se não conseguir, vai ter que andar um bocado. Neste trecho são 4,95km. A pé, tranquilo, sem problemas. De carro, a estrada de terra é mediana (tranquila, mas com alguns morrinhos). Estimamos 3km/h, se você fizer a pé.
Obs: Não há condução pública para este trecho.

Trecho C - Cabeça de Boi - Itambé do Mato Dentro
Chegou em Cabeça de Boi? Agora tem um pouquinho mais de chance de conseguir a carona pra segunda parte da estrada de terra. Mas o distrito é muito pequeno, não vá tão confiante assim.. Nós demos sorte nos dois trechos (B e C) e conseguimos carona para os dois. Mas se fizer esta travessia, esteja preparado pra fazer tudo a pé. Neste trecho são 9,40km de estrada de terra. Há alguns morros. Estimamos 3h, se você fizer a pé.
Obs: Não há condução pública para este trecho.

Trecho D - Itambé do Mato Dentro - Belo Horizonte (de ônibus)
Pega-se o ônibus no “centro” de Itambé do Mato Dentro. Lá há um guichê da empresa XXX. O ônibus que sai na parte da tarde só tem 1 horário, portanto, não se atrase!  O ônibus passa em muitas cidadezinhas intermediárias, fica cheio! Mas ele começa em Itambém, então lá ele começa vazio. Vale a pena ligar antes da viagem para garantir que haverá vaga.
Obs: A única empresa que conhecemos que faz este trajeto é a empresa Saritur. No domingo existe apenas um horário de volta, fique atento! O ônibus sai pontualmente de Itambé do Mato dentro as 17h!



Rua de Itambé do Mato Dentro
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


Igrejinha em Itambé do Mato Dentro
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

2.2.4.Situação das Estradas:
Belo Horizonte - Serra do Cipó (Pousada Duas Pontes)
Estrada em ótimas condições, exceto a parte de Lagoa Santa que tem muitos quebra molas e esburacada. Até o alto da serra está asfaltado.

Área das Cachoeiras Cabeça de Boi - Itambé do Mato Dentro
É estrada de terra, em médias condições. A estrada está boa, mas possui alguns morros o que pode dificultar a vida de carros populares em alguns pontos. Também tem uma travessia em um pequeno rio entre a área de Cachoeiras e Cabeça de Boi (veja ponto marcado no mapa). Em é poca de cheia pode ser que fique um pouco alto . Essa travessia ocorre entre Cabeça de Boi e Itambé do Mato Dentro.


2.3.Trilha
2.3.1.Breve Descrição
A trilha tem 2 macro-partes: a parte da Trilha Travessão e a segunda parte  que é “off-road”. Não há uma trilha, efetivamente. O negócio é seguir a direção correta.

Basicamente desce-se bastante até chegar a Travessão, seguido de uma pesada subida até o ponto mais alto do Parque Nacional da Serra do Cipó com uma bela visão dos morros, e depois uma descida constante e pesada até Cabeça de Boi.

A trilha não tem grandes obstáculos: Apenas sua extensão e morros a enfrentar. Um pouco de mato em alguns pontos, mas nenhuma floresta intransponível.
Deposi de chegado na área das Cachoeiras, é tudo tranquilo. Faz-se as trilhas para as cachoeiras na manhã do segundo dia (todas sinalizadas) e depois parte-se para Itambé do Mato Dentro.

Para efeitos de organização vamos dividir a trilha em 4 partes:
Parte 1 : Duas Pontes - Travessão (in road)
Parte 2: Subida do Parque (off road)
Parte 3: Descida Cabeça de Boi (off road)
Parte 4: Cachoeiras (in road)

2.3.2.Ficha Técnica da Trilha:

Quesito
Trilha - De Travessão a Cabeça de Boi
Atração Principal:  Cacoheira das Maçãs e Complexo do Entancado
Dificuldade:  Média / Difícil
Estado de Conservação da trilhaMédia / Rara
Sinalização da TrilhaApenas na área de cachoeiras
Preço (da trilha - sem logística envolvida)R$10,00
Duração (da trilha, de Travessão até área das Cachoeiras) 10h
Distância Total (da trilha, Travessão até área das Cachoeiras + trilhas das cachoeiras)26,1km
Distância off-road (sem trilha)14,25km
Duração do passeio (logística + trilha)2 dias
Elevação - ganho (só na ida, na trilha - Travessão até área das cachoeiras)778m
Sombra na trilhaMuito pouco
ObstáculosUm pouco de mato alto em alguns pontos, subidas e descidas fortes.
Precisa de Guia ou GPS?Sim. Imprescindível
Passagem por rioSim, baixos
Pontos de ÁguaSim

*O destino não é contabilizado como ponto de água.
*O preço se refere apenas a parte da trilha (parque, propriedade particular, etc. Não inclui preço da logística).


2.3.3.Detalhes
Parte 1
Pontos Intermediários: Floresta de Samambaias, Pinturas Rupestres, Cachoeira Espelhada, Água, Mirante do Travessão.
Atrativos desta parte: Pinturas Rupestres, Cachoeira Espelhada, Mirante do Travessão

Esta é a parte trilha da trilha. É a unica parte (além da área de cachoeiras) que tem trilha bem demarcada. A trilha começa no alto da serra, do lado da Pousada Duas Pontes. A Pousada Duas Pontes fica do outro lado da estrada. Você pode identifiacr o ponto incial da trilha através de uma placa de Vende-se que está ha muito tempo no terreno onde começa a trilha. Caso a placa não esteja lá, fica quase em frente a Pousada mesmo, qualqeur coisa pergunte dentro da Pousada onde se começa (a Pousada só abre as 8h da manhã).

A trilha é tranquila e sem problemas .Há algumas bifurcações mas nenhuma leva a outro lugar diferente. Pode ser guir de boa. Desce-se até chegar no leito do rio e depois sobe-se passando pela floresta de samambaias. Esta parte pode ser ficar um pouco dificil de passar, caso as samambaias estejam grande (você pode dar o azar de isso acontecer). Mas prossiga.

Depois passa-se perto da Cachoeira espelhada. Não recomendamos visitá-la neste passeio, pois você tem um longo caminho pela frente (pode ficar tarde...). AS Pinturas Rupestres vale uma foto rápida.

Depois prossiga até o Mirante do Travessão. Tire fotos, arrume fôlego e prepara-se para a trilha de verdade.



Pinturas Rupestres, antes de chegar ao Travessão
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


Mirante do Travessão - Clássico
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Um pouco depois do mirante do travessão. Belas visões
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Depois do travessão, há várias quedinhas intermediárias
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


Parte 2 - Início Off road até Ponto Máximo
Pontos Intermediários: Mato e Cachoeira X

Não existe um melhor ponto para você começar a ficar para a esquerda da trilha de travessão. Simplesmente vire e comece ir em direção a Cabeça de Boi. Sugerimos fortemente que você siga o traçado do mapa, pois minimizamos as subidas muito perrengues. Alguns zigue-zagues foram necessários para essa minimização.

Inicialmente enfrenta-se um mato até mais ou menos a altura da cintura, mas esse mato não dura muito. Depois do fim dele, continua-se sobre mato bem baixo, sempre subindo. Pode haver pedras no caminho também. Não há placas nem trilhas nesta parte. Siga o seu GPS, até chegar ao ponto máximo da trilha (Floresta 1).

A parte 2 pode ser considerada a parte mais complicada da trilha (pois é nela que pode ocorrer de):
-errar em algum zigue-zague e pegar alguma subida perrengue.
-Praticamente só tem subida nessa parte.
-Tem a parte do mato, que cansa.

Próximo ao ponto mais alto do Parque Nacional da Serra do Cipó
No meio da trilha off-road
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Parte 3 - Ponto Máximo até Prainha - Área das Cachoeiras (Cabeça de Boi)
Pontos Intermediários: Ponto de Água, Cachoeira Pera, Floresta 2

Depois de vencida a parte 2 da trilha, a trilha fica mais amena. Não há nenhum obstáculo e quando a descida começa, começa-se a se encontrar com alguns trechos de trilhas de motocross, o que ajuda bastante na desciad.

A descida, porém, irá cansar bastante, afinal, serão 900metros de desnível (para baixo) em 8,8km de trilha. Essa parte é mais extensa que a parte 2, mas ainda assim a consideramos mais fácil.

Foto da Cachoeira X.
Cachoeira de pouca água, mas altinha. (não sabemos se tem poço)
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Ponto mais alto da tirlha, olhando pra Cabeça de Boi.
Agora é tudo descida
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

O que convencionamos chamar de Cachoeira Pera.
Uma sequencia de quedas que desemboca no rio que via formar a Cachoeira das Maçãs
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Olhe com calma e note a bela cachoeira formada (esse é o ponto marcado como "Cachoeira" no mapa).
Cachoeira dificil de ser alcançada (nós só vimos de longe)
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Quase ao fim do dia 1. Bem próximo da Cachoeira das Maçãs,.
o terreno começa a ficar mais plano.
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Ponto ameno do rio.
"Prainha" marcaad no mapa
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Local do Camping.
Note que acampamos fora da área particular
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi




Cachoeira do Chuvisco - visão de desde o local do camping
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


Pegadas de algum animal. Não era um cão, pois não havia unhas na pegada!
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Prainha
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


Parte 4 - Cachoeiras (Dia 2)
Essa parte da caminhada é o deleite. É o dia de curtir. Recomendamos fazer esta parte no segundo dia (mesmo porque , no primeiro dia não vai dar tempo).

Esta parte são simplesmente as chegadas em cada uma das cachoeiras . Nós fizemos 2 delas: Cachoeira das Maçãs e Complexo do Entancado. mas se você quiser também pode fazer a cachoeira do Chuvisco e a cachoeira do Lajeado.



Bifurcação chegando a Maçãs.
A sinalização  não é muito boa
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi



Falamos aqui mais alguns detalhes do segundo dia, a visita as Cachoeiras.
Em Cabeça de Boi, você tem, basicamente, as seguintes cachoeiras mais conhecidas:

Cachoeira das Maçãs
Complexo do Entancado
cachoeira do Chuvisco
Cachoeira do Lajeado

Dessas 4, nós já conhecemos 3 delas. Dessas 3, em ordem de “mais legal” para a menos legal, recomendamos assim:

Cachoeira das Maçãs: a mais “bonitinha”, com poço convidativo, queda convidativa e dá pra descansar por ali (obs: não tem lugar pra muita gente. a cachoeira é mais apertada). Bate menos sol aqui.
Diz a lenda que certa vez, o dono da área da Cachoeira das Maçãs foi com seus sobrinhos até lá. E então convocou todos a nadar no poço, que normalmente é frio, porque não bate muito sol. Ninguém topou, devido ao frio.
O tio então, pegou uma cesta que tinham levado, que estava cheia de maçãs (ia ser o lanche da tarde) e jogou todas as maçãs dentro do poço. No que ele disse: “agora só lancha quem pegar sua própria maçã!” O nome ficou pra sempre: Cachoeira das Maçãs, é o que reza a lenda.

Cachoeira das Maçãs
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Cachoeira das Maçãs
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Ao lado da queda
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

De trás da queda, olhando
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Queda vista de pertinho - Cachoeira das Maçãs
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Cachoeira das Maçãs
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Visão da lateral esquerda da Cachoeira (vista a partir da lateral direita)
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Visão da lateral direita da Cachoeira - vista a partir da lateral esquerda
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Cachoeira das Maçãs com lateral direita
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Perceba a ficabilidade debaixo da queda na Cachoeira das Maçãs
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Complexo do Entancado: excelente local com várias quedinhas intermediárias e com muito espaço pra muita gente. Fica muito legal no verão. bate mais sol.


Quedinha singela do Complexo do Entancado (uma das)
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


Formação do Rio antes do Complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Mini-poços (ofurôs) formados naturalmente no Complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

No meio do complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Vista do comecinho do complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Quedinha intermediária no complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

São várias duchas e quedinhas - Complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Visão do maior poço do Complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Queda nervosa do Complexo
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Essa é a maior queda do Complexo. Pequena mas muito forte
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Não parece, mas a água cai muito forte - Cachoeira do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Quedinha do Complexo do Entancado
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi

Travessia meio mal cuidada, ao lado da Prainha
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


Cachoeira do Chuvisco: é mais uma cachoeira de “passagem”.  Não é uma cachoeir agrande e nem tem um poço grande (só pra refrescar um pouco , molhar os pés mesmo, pois é um poço raso).


2.3.4.Tabela DTE: (distância-tempo-elevação) - por parte

Parte
Distância (km)
Tempo (h)
Ponto Inicial
Ponto Final
Elevação(m)  - perda
Elevação - ganho
1
9,55
3h
Início da Trilha
Início Trilha off-Road
390
390
2
5,45
3h
Início da Trilha Off-Road
Floresta 1
80
341
3
8,8
4h
Floresta 1
Prainha
860
48
4
2,3
3h
Prainha
Estacionamento
43
100

*A tabela DTE mostra as distâncias, tempos e elevações (perdas e ganhos) durante cada parte da trilha.
*As partes são definidas por convenção. Não existe divisão real entre elas.
*A parte 4 é feita no dia 2 (sugestão).



2.3.5.Pontos de Referência:

PontoDistância percorrida (km)
Início da Trilha0
Floresta de Samambaias5,37
Pinturas Rupestres / Cachoeira dos Espelhos6,24
Água7,27
Mirante do Travessão7,82
Inicio Trilha Off Road9,55
Mato9,82
Cachoeira X12,7
Floresta 115
Ponto de Água15,9
Cachoeira Pêra / Limite do Parque Nacional da Serra do Cipó17,4
Rio19,9
Floresta 220,8
Prainha23,8

*A tabela pontos de refêrencia mostra os pontos que nós marcamos e achamos que são bons marcos para você se referenciar durante a trilha.
*A distância em km é cumulativa, isto é, a quilometragem atribuída a um ponto mostra quantos km você andou, até então, na trilha, ao chegar em tal ponto.
*Os pontos em amarelo não estão exatamente em cima da trilha, mas são visíveis a partir dela e podem servir de referência.


2.3.Mapa

Atenção: O mapa, devido a quantidade de itens aparece com paginação no google maps (fica chato de ver). Recomendamos realizar o download do arquivo .kml e visualizar no Google Earth, fica bem melhor

Visualizar Br.Mg.Travessia Travessão_Cabeça de Boi em um mapa maiorfimteste



Mapa formato kml (para baixar)

3.Preços:

ItemPreço
Ônibus BH - Alto da Serra do CipóR$29,00
Entrada no Parque Nacional para Trilha do TravessãoR$0,00*
Entrada na Área de Cachoeiras de Cabeça de BoiR$10,00
Pernoite  próximo a área de CachoeirasR$0,00
Almoço em Cabeça de BoiR$15,00
Ônibus Itambé do Mato Dentro - BHR$29,95

*Atualmente o Parque Nacional não está cobrando entrada.

Total: R$85,95

4.Simulação TP do Passeio

DiaHorárioEvento
106:00 - 09:00Ônibus BH - Pousada Duas Pontes
109:00 - 11:30Triliha até o Mirante do Travessão
111:30 - 15:00Trilha do Mirante até o ponto mais alto da trilha (início da parte 3)
115:00 - 19:00Trilha até o ponto da Área das Cachoeiras (Prainha)
206:30 - 08:00Café da Manhã e preparação das mochilas
208:00 - 11:00Visita a Cachoeira das Maçãs e Cachoeira Entancado
211:00 - 16:00Caminhada ou carona até Itambé do Mato Dentro (tem que forçar o passo um pouco)
217:00 - 20:00ônibus de volta : Itambé do Mato Dentro - BH

*Esta tabela é uma simulação, onde escolhemos a logística de nossa preferência e onde colocamos um tempo médio para os eventos.
*A duração dos eventos pode variar, dependendo das condições.

5.A vila de Cabeça de Boi

Cabeça de Boi é um distrito de Itambé do Mato Dentro, vilazinha bem pequena. Lá você vai encontrar a pequena praça central e ums 2 ou 3 bares ao redor, pra caso queira comprar alguma bebida ou comer um almoço. Nós almoçamos (bem servido) em um restaurante de esquina.. infelizmente esquecemos o nome, pois bem: não há tantas opções, então você encontrará.

Não há bancos e nem muitas opções de hospedagem (nós nunca nos hospedamos em Cabeça de Boi) mas sabemos que há pelo menos um camping lá.

Igrejinha em Cabeça de Boi
From Travessia Travessão - Cabeça de Boi


5.1.Pernoite
Nós dormimos próximo a Área das Cachoeiras, fora da área demarcada particular, no meio do mato mesmo. Não é permitido dormir dentro da área das cachoeiras.

5.2.Placar da Estadia:

QuesitoCamping 1
Selvagem ou com estrutura?Selvagem
Estado da localização para armar barracaMuito boa (plana)
SegurançaBoa

*<observação>

6.Placar das Atrações

QuesitoCachoeira das MaçãsCachoeira do EntancadoCachoeira do Chuvisco
Altura
8,64m
2m
9m
É possível alcançar a queda?
Sim
~Não
Sim
É possível chegar ao topo da queda?
Provavelmente
Sim
Não sabemos
Queda livre ou Corredeira?
Livre
Livre
Livre
Ficabilidade debaixo da Queda
Muito boa
Muito difícil
Média
Ficabilidade no Local
Muito boa
Excelente
Média
Comprimento x Largura do Poço
8 x 3,5
4 x 8
2 x 4
Profundidade do Poço
de 50cm a muito fundo
~2m a 3m
40cm
Nadabilidade
Muito boa
Média
Não dá pra nadar
Pulabilidade
Muito Boa
Média
Não dá pra pular
Solo do Poço
Pedras
Não analisado
Areia / Terra
Outros nomes
Intancado

*Medida da altura confiável (baixo índice de erro)
*Dimensões do poço medido por aproximação, (Largura x Comprimento x Profundidade).

7.FAQ
Eu nunca fiz uma trilha selvagem assim. leigos podem fazê-la?
Não recomendamos. Faça algumas mais simples primeiro, pra testar. Pra depois encarar esta. Ela não tem nada demais, mas é bom testar se você está preparado pra muita caminhada e um pouco de mato de verdade.

Dá pra ir de carro popular até Cabeça de Boi? Ou só com 4x4?
Entre Itambé do Mato Dentro e Cabeça de Boi realmente há um passagem em um rio, no meio do caminho. Não sabemos dizer se sempre é possível ir pra la com carros populares não..Pode ser que o rio esteja um pouco alto e não dê pra passar.. Existe o risco! A pikup que pegamos passou tranquila (era uma Saveiro).

Tem alguma trilha entre Serra do Cipó e Cabeça de Boi sem ser essa off-road que vocês fizeram?
Não que saibamos. Nós procuramos bastante. Mas tivemos que fazer nossa própria trilha. A partir da “parte 3” da trilha existem alguns fragmentos de trilhas de motocross que ajudam um pouco.

Dá pra fazer essa travessia e conhecer as cachoeiras de Cabeça de Boi e também de Itambé do Mato Dentro?
Totalmente possível, mas nós não pensamos na logística e qual a ordme seria melhor. Seriam necessários, no mínimo, 3 dias.

Pergunta?
Resposta

8.Dicas

  • Chegue cedo para comprar sua passagem na rodoviária. O ônibus enche aos fins de semana!
  • Ligue para a rodoviária para saber preços, horários e pra saber se é necessário comprar passagens com antecedência.
  • Se decidir ir de carro para Cabeça de Boi, esteja preparado para encarar a passagem do rio entre Cabeça de Boi e a área das Cachoeiras
  • Ao comprar sua passagem na rodoviária de Belo Horizonte, diga que vai descer em Cardeal Mota (Serra do Cipó).
  • Segue a lista ordenada da melhor para a pior cachoeira, em Cabeça de Boi: Maçãs, Entancado, Chuvisco, Lajeado. (pra caso você tenha que escolher quais visitar, e não puder visitar todas).
  • Se você for de carro para Cabeça de Boi, fique atento a passagem pela água, entre o distrito e a Área das Cachoeiras. No pior dos casos, se não der pra atravessar com o carro, deixe ele em algum ponto possível e caminhe o resto a pé (não é tão longe assim). Mas aí tem que chegar cedo!


9.Relato

Nós chegamos as 5h30min na rodoviária de BH. O dia começou dificil, hehe. Eu e Alex compramos nossa passagem e esperávamos Wiliam, o último a chegar. Ele chegou faltando 10 minutos para saída do ônibus ( que era as 6h) . E aí de cara aconteceu o primeiro susto: Quando o Wiliam foi comprar passagem, não tinha mais! Ele nos xingou (por não termos esperado ele chegar ou mesmo ter comprado pra ele antes) - a verdade é que eu e Alex nem imaginamos que existia o risco das passagens esgotarem!

A princípio eu achei que o passeio ia ser cancelado, ou mesmo que íamos pegar o próximo ônibus (que saía só as 7h30min) obrigando-nos a fazer uma bela de uma pernada e uma pitada de sorte pra conseguir chegar ainda de dia em Cabeça de Boi.

Descemos a plataforma e ficamos a espreita de desistencia de algum passageiro, pra que Wiliam conseguisse ir. E então começamos o passeio com sorte. Havia lugar! Passado o susto, pegamos o ônibus, deu pra dar uma dormidinha no caminho e continuamos.

Um pouco antes de chegar o auxiliar do motorista nos cobrou R$4,00. É porque no guichê haviam nos vendido até Cardeal Mota, mas nós estávamos subindo a Serra, então deviamos cobrar uma taxa a mais (é porque o guichê não vende o ticket até a Pousada Duas Pontes, que é no meio do nada. Vende só até Cardeal Mota - que é a cidade, um pouco antes, lá embaixo da Serra).

Pagada a taxa “surpresa”, descemos tranquilamente na Pousada Duas Pontes. O tempo estava excelente para a travessia. Nublado, mas sem sinais de chuva. Começamos prontamente, pela já conhecida por nós trilha até o Travessão.

Fizemos esta primeira parte da trilha de forma muito tranquila. A Floresta de Samambaias na subida estava baixa, não foi desagradável atravessá-la. O rio também estava em um nível ok. Nem muito baixo mas nem alto.

Descendo em direção ao Travessão, demos uma erradinha da trilha e tivemos que cortar o rio pela esquerda, mas logo se acertou. Não houve problemas.

Chegamos a Travessão ,tiramos a tradicional foto. No Mirante do Travessão não dá muito vontade de ficar por lá. É realmente um local de apoio. Só pra dar uma paradinha rápida, comer algo rápido, tirar algumas fotos da bela visão e seguir viagem.

Logo após o Mirante do Travessão a subida se inicia, e isto vai até o fim da segunda parte.
A subida começa ainda sob trilha tranquila (bem marcada). Fim da subida, tem-se uma bela visão do Travessão, dá pra ver algumas quedinhas intermediárias e depois seguimos adiante, agora, já, olhando para o GPS para ver que horas deveríamos virar a esquerda. Viramos um pouco antes da hora e pegamos um pouco de mato, mas logo achamos a linha que haviamos planejado no GPS.

Era o fim da trilha oficial. Estávamos no ponto “Inicio Trilha Off road”. A subida continua, e essa é a parte mais complicada da trilha. Nós tentamos seguir a risca o plano que tinhamos marcado via Google Earth e ele se mostrou excelentemente bom (créditos ao Wiliam que fez o estudo de nível das montanhas e das áreas com menos matos).

Parece que o trajeto marcado minimiza ao máximo a quantidade e mato e subidas complicadas na trilha. Sugerimos fortemente que você siga a linha que marcamos no GPS.

Em apenas alguns momentos trilhamos um pouco diferente do que haviamos planejado. Sempre olhávamos para a linha do GPS e para a frente, para ver se havia alguma alternativa melhor. Houve apenas um ponto em que tivemos que encarar um monte inclinado (não perigoso, apenas um pouco cansativo de se fazer com mochilas). Mas subimos rápido. Tínhamos um ponto de referência que era a Cachoeira X.

Nós não chegamos a conhecê-la de perto, mas ela está lá, como desafio. Ela foi apenas referência para começarmos a fazer o S traçado, esse S é pra escapar das montanhas e mato, como você pode ver no mapa.

Tiramos uam foto da Cachoeira X e seguimos adiante, ainda subindo, até chegar próximo a Floresta 1 (marcada no mapa). Estimávamos que a transposição dessa floresta seria complicada, mas assim não o foi!

Feito o S que traçamos , passamos a esquerda da Floresta (veja mapa). E É mais ou menos por aqui que chega-se ao ponto mais alto do Parque Nacional da Serra do Cipó. Logo depois de passar pela floresta, é morro abaixo. Tem-se uma excelente visão do morro até Cabeça de Boi. Começa a Parte 3.


O Wiliam e o Alex encontraram umas árvores enormes (ou plantas, sei lá) antes de atravessar a Floresta. Eu , que não sou muito ligado a “detalhes”, passei batido. Eles me perguntaram como foi que eu nao vi ? A minha resposta é: sei lá. Eu quero ver a trilha e a cachoeira, heauheau. Eu sou miuto ruim para detalhes.

Bem, a terceira parte da trilha foi muito amena para nós. Não estávamos acreditando como tudo estava indo tão bem e sem surpresas. Quando a descida começa, começa-se a encontrar com tirlhas de motocross, o que ajuda muito, pois em geral elas vão indo em direção a Cabeça de Boi mesmo.

Não existe uma trilha certinha que desce o morro todo, mas seguindo mais ou menos em linha reta, e usando o bom senso, dá pra se fazer uma excelente terceira parte, sem problemas.

Em certo momento Alex comenta que estava com o seu tornozelo se recuperando e é aí que Murhpy escuta: e age.

Alex, faltando cerca de 4km para chegar ao fim dá um escorrego e torce o tornozelo machucado. Batata.

Apesar disso, ALex continua forte e continuamos no nosso ritmo, um ritmo muito bom. Fizemos em média 3km/h, por aí.. Bem mais no final da descida, pode-se ver uma queda bonita do lado direito de onde você está passando, o que convencionamos chamar de Cachoeira Pêra. Um pouquinho mais para baixo dá pra ver uma bela cachoeira (agora a esquerda) também. Parece muito legal, mas difícil de se chegar.

Quando estávamos nesse ponto já estávamos bem cansados e agora só queriamos achar um bom lugar para acampar. Por ali seria meio difícil porque ainda estava tudo muito inclinado.

Continuamos descendo até que a inclinação começou a diminuir. Já estávamos aí, bem próximos da Cachoeira das Maçãs. Passa-se ao lado direito dela e não dá pra chegar nela ainda no primeiro dia porque o leito do rio onde ela passa é um vão bem alto. Não dá pra chegar pela direita dela. Só chegando a Prainha e de lá subindo o leito pela trilha oficial mesmo.

Já poderíamos ter acampado ali ao lado da Cachoeira das Maçãs. Mas preferimos descer o mais baixo possível para ficarmos próximo das trilhas no outro dia.

Conseguimos chegar ao lado da Prainha e achar um lugar para acampar ali, fora da área particular, para evitar problemas. Antes disso, fomos até a Prainha e tomamos um merecido banho ali. Depois de aproximadamente 10h caminhando, mesmo sem quase sol (só o sol de 19 e poucas indo embora) o banho foi recompensador. Feito o banho, armamos a única barraca que levamos e o Wiliam e Alex fizeram a janta (eu só olhei =P). Comemos numa nice, lavamos a louça para minimzar o trabalho do outro dia e dormimos próximo das 21h.

Dia 2
Acordamos cedo no segundo dia, as 6h30min. Arrumamos as coisas rápido, tomamos um café bom, e saímos atrás da Cachoeira das Maçãs. Eu já havia estado na área das Cachoeiras, só que não havia encontrado essa cachoeira em especial, pois as placas que indicavam como chegar até ela estavam caídas no chão.

mas dessa vez, com posse do GPS (e as placas estavam de pé também) foi fácil.
Estávamos do lado certo do rio, era só seguir a trilha.

Deixamos nossos mochilões atrás de uma árvore e fomos até a Cachoeira. A trilha é bem curta, chega-se rápido até a Cachoeira das Maçãs.

Cachoeira das Maçãs
A Cachoeira das Maçãs não é grande, mas é charmosa. Charmosa porque ela fica fechada em um cänion particular. Duas paredes paralelas fecham a cachoeira em um poço bom. Nem a queda nem o poço são grandes, mas a cachoeira é muito agradável.

A queda tem aproximadamente 8 metros e o poço é pequeno e fundo. Tem lugar que dá pé e dá pra ficar debaixo da queda tranquilamente. O paredão esquerdo (de quem está olhando para a queda) é muito bom para treinar bolder. Só cuidado para não exagerar e machucar.

A estadia na cachoeira das maçãs é muito boa. Dá pra tirar um cochilo lá.
Depois de ficado lá, partimos paro o Complexo do Entancado.

Complexo do Entancado
O Complexo do Entancado é um setor do leito do rio, simples assim. São várias quedinhsa que podem ser curtidas e vários pocinhos intermediários legais. Bem em cima tem uma parte ampla do rio que dá pra nadar tranquilamente (água bem tranquila).

É bom alertar-se que o Complexo do Entancado tem vários ofurôs que podem ser perigosos caso não se nade com cautela (cuidado pra não ficar entalado em algum deles - pode ser perigoso).

Descendo um pouco mais pelo Complexo, pode-se achar uma queda bem forte (pelo menos estava bem forte quando fomos) e que forma um poço bom para ficar também. Nesse poço eu não consegui chegar até debaixo da queda. Até dava, mas fiquei um pouco preocupado com a força dagua, apesar de a queda não ser alta.

Ficamos ali um tempo bom também, e depois partimos para Itambé do Mato Dentro, as 11h em ponto.

Ainda há mais duas cachoeiras pra se conhecer no local (a do Chuvisco e a Lajeado) mas preferimos curtir Entancado e Maçãs e deixar essas duas pra depois.

Voltamos para a trilha principal e passamos pelo estacionamento (havia algumas pessoas ali) e então começamos nossa jornada pela estrada de terra até Cabeça de Boi. Andamos só alguns poucos quilometros até avistar uma pickup que gentilmente nos catou. Fomos atrás e tivemos uma excelente carona até Cabeça de Boi. O Diego, meu xará, falou que estava indo para Itambé do Mato Dentro antes das 16, que só ia almoçar em Cabeça de Boi, e era só isso que a gente precisava.

Tivemos um excelente almoço (de servir a vontade) em Cabeça e fomos na pickup tranquilassos até Itambé do Mato Dentro. Não poderiamos ter tido mais sorte. Além de a trilha ter dado toda certa, fez um tempo perfeito (muito sol no segundo dia) e ainda conseguimos carona, chegando em Itambém em um horário ótimo. Compramos nosso ticket de volta em Itambé mesmo e o önibus partiu as 17h em direção a BH.

O ônibus foi parando em várias cidades, e foi bem cheio (foram pessoas em pé, inclusive) e chegamos em BH por vota das 20h.

Foi uma das travessias mais tranquilas e recompensadoras da qual participamos.

Só temos a dizer que Cabeça de Boi (área das Cachoeiras) é um lugar que vale a pena.
E essa travessia é uma excelente opção de chegar até lá - sem grandes mistérios e com uma vista excelente.

9 comentários:

tulio disse...

Olá pessoal! Parabéns pelo post!
Não conhecia essa travessia e fiquei interessado em realizá-la no próximo feriado (dia 29/03).
Enviei um e-mail para vcs, para saber como posso conseguir a autorização do parque para realizá-la sem nenhum problema!

Abraços,
Túlio

Anônimo disse...

qual a distancia da trilha da pousada duas pontes ate o travessão vcs sabem?

Anônimo disse...

qual a distancia da trilha da pousada duas pontes ate o travessão vcs sabem?

Diego Bigliani Solamito disse...

Desculpe pela demora, Anonimo!

A distância da Pousada Duas POntes até o Travessão é de 8,20km. (com alguma pequena variação).

Abraço!



Anônimo disse...

Pessoal.

Conheço bem a região de Cabeça de Boi a partir do complexo das Cachoeira das Maças, Intancado e lajeado. Tenho um grupo experiente em caminhadas e estamos pensando em fazer esta travessia. A algum risco de nos perdermos mesmo com o GPS?

Diego Bigliani Solamito disse...

Anonimo:
com GPS, nunca haverá risco ;)

Mas indo no detalhe: se o seu medo são florestas no meio do caminho, quase não há. Por ser alto, não tem quase nada de florestas no meio do caminho..

Com gps é manha

Lorena Mariani disse...

Boa Tarde, gostaria de realizar uma travessia dentro do parque. Como conseguir autorização?
Obrigada

Rick Ferreira disse...

Muito bom post!
Vocês tem o tracklog dessa travessia que possam me fornecer?

Obrigado!

Diego Bigliani Solamito disse...

Olá, enviem uma mensagem privada no grupo do facebook, ok?
https://www.facebook.com/osCacadoresDeCachoeiras/

abraços

Os Caçadores de Cachoeiras

Os Caçadores de Cachoeiras