Páginas

terça-feira, 6 de março de 2012

Trilha da Pedra da Gávea - Rio de Janeiro

Um post dedicado a Pedra da Gávea, uma dos muitos destinos de trilhas legais pra se fazer dentro da capital Carioca, além de uma homenagem a essa cidade, de fato, maravilhosa!



Pedra da Gávea, RJ
Nível Médio


Introdução
A Pedra da Gávea é um imponente monte que se encontra no Bairro Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Seu cume pode ser alcançado por uma trilha bem acessível, cuidada e pertencente ao Parque Nacional da Tijuca. A trilha oferece um desgaste considerável devido a seu considerável desnível e alguns obstáculos até o fim.

O Parque Nacional da Tijuca
O Parque Nacional possui muitas outras atrações e é um Parque existente desde 1961. Foi criado no intuito de recuperar áreas degradadas no Rio. O Parque é dividido em 4 seções e possui várias entradas. A entrada (principal) para a Pedra da Gávea, fica fora do parque, mas a Pedra está dentro dos limites do Parque.

Estrutura
Ainda conhecemos muito pouco deste parque, então mais informações serão impressas ao passar do tempo. No entanto, já podemos afirmar que a estrutura desse parque é muito boa, ainda mais não pagando-se nada pela entrada. A entrada é franca. A estrutura da entrada para a Pedra da Gávea é muito simples.
Existe apenas uma pequena portaria onde é controlada a entrada e saída dos caminhantes, mas não existem bares, restaurantes em volta. Apenas a guarita e banheiros.

Como Chegar
A Pedra da Gávea é uma das trilhas mais procuradas dentro do Rio de Janeiro, por isso, não será muito complicado confirmar detalhes com nativos próximo a região. No entanto, ainda assim, sempre há pessoas que desconhecem como chegar a ela e também a segurança (ou não) do local. Também pode acontecer de te apontarem locais errados para começar a trilha, como foi o meu caso.

Se você estiver em Copacabana ou Ipanema, alguns ônibus te levam quase até o início da trilha. Na verdade, chegando até o Bairro Barra da Tijuca, você está bem próximo do início, mas alguns deles te deixam quase na porta.

Você deve pegar um ônibus até o Bairro denominado Barrinha. Incrivelmente, poucos motoristas de ônibus recohecem essa denominação, por alguma razão bizarra (todos fizeram cara de mistério, quando perguntei por esse bairro).

A melhor referência para se pegar o ônibus para o início da trilha é pegar um ônibus que vá em direção à Barra mas que vá pela Estrada de Joá até, pelo menos a Praça Desembargador Araújo Jorge. A estrada de Joá é uma estrada "paralela" a estrada que margeia o mar, e é uma estrada engraçada e tortuosa, que se inicia no finzinho de São Conrado, desembocando no bairro Barrinha.

Desça o mais próximo da Praça referida acima. A partir daí, está fácil.

Vá em direção a Avenida Fleming, siga até o fim dela, em direção a Praça Professor Velho da Silva. A trilha e inicia numa entrada de um condomínio que está nessa praça.

Segue o mapa com a estrada de Joá (onde o seu ônibus vai passar) e onde você irá descer.


Visualizar Br.Rj.Rj.Logistica Pedra da Gávea em um mapa maior


Caso só consiga um ônibus para a Praia da Barra (passando pelo Vevd. das Bandeiras) não é difícil chegar até lá também não. basta atravessar a lagoa em direção a Praça Professor Velho da Silva. Aproveite para comprar seus liquidos e comidas na Praça Desembargador Araújo Jorge, pois depois do início da trilha, não tem mais nada.

FAQ
Pra se chegar basta pegar um ônibus até o Parque Nacional da Tijuca?Não. Apesar da Pedra da Gávea ser uma área protegida pelo Parque, O Parque possui várias entradas e diferentes e, provavelmente, quando você perguntar pelo Parque (genericamente, desse jeito) vão te indicar a entrada para a Floresta da Tijuca, que parece ser a resposta default. Para ir a Pedra da Gávea você deve pegar um ônibus para a praia da Barra, como explicado no item acima.

 Mas se eu entrar pela Floresta da Tijuca não dá pra ir pra Pedra da Gávea também não? Aí é bom que eu conheço mais lugares..
Se você entrar pela Floresta da Tijuca vai poder encontrar vários atrativos legais, mas não a PEdra da Gávea. Quer dizer, a menos que queira fazer uma bela travessia (mais de 1 dia).

Ouvi falar que é preciso escalar nessa trilha. Verdade?
O verbo mais correto seria: Escalaminhar. Não é necessário experiência em escalada (é uma subida simples). Mas não é uma subida para se fazer de qualquer jeito. Mãos livres e concentração são suficientes para fazer esta subida. Apenas tenha calma. Mas se estiver inseguro, não a faça.

É perigoso ir sozinho nessa trilha? Ocorrem assaltos nessa trilha? Eu posso fazer a trilha sozinho? Posso levar câmera fotográfica sem medo?
Infelizmente não podemos dizer que é seguro.

Já fiz 3 trilhas (Corcovado, Urca e Pedra da Gávea) sozinho no Rio de Janeiro (capital), levando GPS e câmera fotográfica e nunca tive nenhum problema. Não fui assaltado e nem abordado em nenhuma dessas vezes.

No entanto, para 2 desses passeios, fui aconselhado a não fazê-lo ou, ao menos, a fazê-lo mas sem levar nada de valor.  Contrariei os conselhos em todas as vezes e levei câmera, gps, documentos e dinheiro,hehehe.

Para o Passeio de Pedra da Gávea, achei o passeio tranquilíssimo, inclusive, com muitas pessoas na trilha, tive a certeza (ainda mais por ser o 3o. passeio meu, lá). Porém ,para minha surpresa, apenas 3 dias depois, eis que surge uma notícia sobre assalto por lá, veja:
Assalto na Pedra da Gávea

Quase sempre há pessoas que vão te desincentivar a fazê-la sozinha (para as 3 trilhas eu tive nativos que me aconselharam a não levar nada ou mesmo a não fazê-la de jeito nenhum ,pois era loucura).

O fato de eu não ter sido assaltado infelizmente não prova que os passeios são seguros, podem ser apenas um indicativo de que eu tenho sorte. É óbvio que é melhor fazer a trilha acompanhado.

Fato é que não podem me pedir para que eu faça trilhas sem levar camera ou gps, eu preciso levá-los, hehe.

Para a trilha da Pedra da Gávea, eu fui um dia antes até o inicio da trilha para conferir como eram os arredores e para perguntar para algumas pessoas da região se seria tranquilo levar máquina fotográfica. Ao estar lá e ter visto os arredores, além de ter perguntado ao porteiro do condomínio onde a trilha se inicia, me senti mais seguro e tranquilo. O que me fez voltar no outro dia bem cedo para realizar a trilha.

Realizei a trilha no dia 24 de fevereiro de 2012, sexta feira e havia muitas pessoas fazendo a trilha, o que deixou tudo muito tranquilo.

Por isso : o risco existe, infelizmente. Eu, por exemplo, fui desincentivado pela dona do albergue onde estava ficando. Esta me aconselhou a não levar absolutamente nada, ou eu seria roubado. No entanto, percebi que ela pouco conhecia as trilhas do Parque Nacional da Tijuca, então sobre o desconhecido costuma pairar o medo, isso é o normal.

Por se tratar de trilhas dentro de uma metrópole, é normal que te preguem o medo, mas muitas vezes esse medo é, de fato, um preconceito. Apesar disso, ao que parece, o preconceito parece ser validado em varios dos casos.

Infelizmente deve-se estar preparado.
Uma dica é realizar o passeio em dias nao desertos mas que ao mesmo tempo nao sejam super badalados. (provavelmente os assaltantes procuram as trilhas em dias em que eles tem certeza que havera gente, como foi o caso do domingo passado).

Trilha

Obtivemos uma bela e fiel descrição da trilha através do site  Clube dos Aventureiros , descrição essa que utilizamos para fazer a trilha.

Abaixo descrevemos brevemente nossa impressão da trilha, que em muitos momentos se assemelha exatamente a impressão lida em Clube dos Aventureiros.

Distância: 3,54km
Desnível: 600 metros!!
Dificuldade: média.

Preço: R$0,00.
Não se paga para fazer esta trilha. Entrada livre no parque.


Dificuldade
A trilha até a Pedra da Gávea é curta (apenas 3,8km) porém, pesada, pois você encara um desnível de espantosos 500m. E um desnível maior do que o encontrado na trilha para o Pico da Bandeira, por exemplo.

Sinalização:
A trilha é muito bem sinalizada, pelo menos na IDA, na volta é possível se perder (mas só um pouquinho). A trilha é demarcada pelas setinha amarelas (universal). Na volta, no entanto, elas não são tão visíveis assim. O ponto marcado como "Pedra George" no mapa, é o ponto que achamos meio confuso, na parte da volta.

Obstáculos:
O desnível por si só é um obstáculo desta trilha. Além do desnível, existem 2 pontos em que é preciso gastar um pouquinho mais de energia:
  • Pedras anteriores a gruta do Navio
  • Subida Carrasqueira
Estas duas subidas exigem escalaminhada, sendo a Carrasqueira, a pior delas.

Pontos de Água: Sim. Na cachoeira (mas não fica exatamente sobre a trilha, pois nós não encontramos a cachoeira!

GPS : desejável.  (mas não imprescindível).

Partes da trilha:
Parte 1 - Estrada + Subida Nível 1
A trilha começa em asfalto, mas apena spor 260 metros (entrada do condomínio) , a conhecida Estrada de Solimão. Logo anda-se por mais cerca de 500m por uma estradinha de pedra, que inicia-se com a portaria do parque. Após, cerca de 1,3km de subida constante (mediana) sem muitas modificações na trilha, sempre protegido por muitas árvores e verde.

Parte 2 - Caminho das Pedras
Esta segunda parte dura cerca de 1,8km e se inicia com uma pequena descida (coisa de 50 metros, não se anime) e logo a subida continua por algumas pedras no caminho. É aqui que você tem seu primeiro obstáculo, onde tem que escalar um pouquinho. Em algumas pedras há inclusive alguns grampos para ajudar (procure ponto no mapa). Depois dos grampos, a subida continua íngreme até a Clareira.

Parte 3 - Clareira - Carrasqueira - Floresta
Depois da chamada Clareira , a trilha muda significativamente de aspecto. Por estarmos mais próximso do fim, a folhagem rareia, e as grandes árvores não aparecem mais. Ainda há bastante mato, mas você está quase no finzinho. São 500 metros da Clareira a Carrasqueira. Depois da Carrasqueira é muito fácil, segue-se bordeando a Pedra pela direita até subir até o final. São mais 500 metros.

Dicas:

  • Não subestime a descida, ela é tão desgastante quanto a subida. 
  • Na Carrasqueira, apenas tenha calma e concentração, não é preciso surtar.
  • Existe riscos de assalto sim. Pense que trilhas em metrópoles nada mais são do que "avenidas desertas" mas com muita gente por ali. Esteja preparado. Apenas não reaja!



Mapa:

Visualizar Br.Rj.Rio de Janeiro.Trilha Pedra da Gávea em um mapa maior

Pontos de Referência:


PontoDistância percorrida (km)
Portaria do Condomínio0
Início Estrada de Terra0,28
Portaria do Parque 0,53
Início da Trilha0,75
Grampos1,98
Gruta Navio2,03
Clareira2,68
Carrasqueira3,10
Pedra3,54


Relato

Depois de descer na Praça Desembargador Araújo Jorge, fui em direção a Praça Professor Velho da Silva, uma caminhada rápida. Cheguei a porta do Condomínio e falei rapidmente com o porteiro. Ele falou que era tranquilo, mesmo sendo minha primeira vez naquela trilha. Era só seguir. A trilha já começa com subida, mesmo nessa parte em que começa com asfalto. Logo depois de um pouquinho de asfalto chega-se a entrada do parque, de fato, onde há a indicação do início da trilha com algumas informações básicas:


Placa indicativa no início da trilha
From Pedra da Gávea, RJ
A Entrada do Parque é simples e não oferece estrutura, mas tem entrada controlada, apesar de não se pagar nada para entrar. Já antes de começar a subir, já cruzei com gente descendo (provavelmente gente que havia subido pra ver o sol nascer - passeio muito comum para essa trilha também, ao que parece).

Portaria da Policia Florestal, no início da trilha
From Pedra da Gávea, RJ
A trilha depois da entrada ainda tem um pedacinho de estrada, só que agora de terra. Mas são poucos metros até que a trilha só pra pessoas comece mesmo. A trilha está bem cuidada e mantida. EM grande parte do percurso a trilha oferece degraus de madeira, como os da foto abaixo.


Escadas da trilha bem cuidada, subindo a pedra da gávea
From Pedra da Gávea, RJ
Além disso está bem sinalizada (olhe exemplo na foto abaixo), facilitando todo o caminho.


Sinalização universal na subida para a Pedra da Gávea.
Na descida, no entanto, a sinalização não é tão visível não.
From Pedra da Gávea, RJ

Outra demonstração de que está bem cuidada são várias placas indicando caminhos proibidos, provavelmente atalhos ou caminhos alternativos feitos com o tempo, que apenas tem a degradar o ambiente. É sempre bom informar: fazer atalhos não é bom! Atalhos causam erosão e mais desmatamento, por isso é importante, sempre que possível, manter apenas UMA trilha disponível, onde quer que você esteja. Não crie atalhos!


Uma das placas desestimulando os atalhos.
Os atalhos atrapalham o meio ambiente, causam erosão e mais desmatamento. Não os faça!
From Pedra da Gávea, RJ

Os primeiros quilômetros da trilha são bem constantes, sem nenhuma modificação brusca. A primeira modificação brusca acontece no encontro destes grampos - que considerei o primeiro obstáculo da trilha. Trata-se de uma pequena escalaminhada por uma pedra no meio do caminho. Seria possível subir sem os grampos da foto, mas os grampos tornam esse obstáculo muito mais simples de ser vencido. Após este obstáculo a trilha fica um pouco menos constante, mas ainda assim relativamente tranquila


Grampos no meio da trilha
From Pedra da Gávea, RJ

Nos próximos quilômetros você passa por um pedaço onde há grandes pedras e logo chega a uma grande clareira. Supostamente é ali onde há o encontro de outras 2 trilhas , que não temos muito detalhes de pra onde vão. Deve-se seguir para a direita, onde ainda encontram-se degraus para ajudar na subida. Depois de mais um pouco de subida, aqui, provavelmente você já vai estar um tanto cansado, chega-se num pequeno mirante, onde já é possível ter uma deslumbrante vista. Do mirante, vire para trás e dará de cara com a Cara do Imperador.

Eu nem percebi que era ela, quando tirei essa foto. Tirei a foto porque a chei a pedra legal, e só depois fui descobrir que esse era o Iperador :o)



Cabeça do Imperador, mais  pro final da trilha.


Visão do Bairro Barra da Tijuca, ainda na trilha (quase lá em cima)
From Pedra da Gávea, RJ


Não sei o nome desta parte da pedra (será que tem nome? Pode ser que sim)
From Pedra da Gávea, RJ


Visão para a Barra da Tijuca
From Pedra da Gávea, RJ


From Pedra da Gávea, RJ
Após um pouco de caminhada no pós-clareira, chega-se ao obstáculo mais comentado dessa trilha, mas merece, pois trata-se de um verdadeiro obstáculo. A Carrasqueira


A Carrasqueira é uma parede de pedras, não em 90 graus, mas quase. Trata-se de uma escalada ligeiramente positiva. Como não sou um expert em escaladas, não sei dizer exatamente o grau dela. Mas não se assustem, é um grau muito baixo. É positiva e tem muitas pegadas. Porém, para qualquer trilha, trata-se de uma escalaminhada que deve ser citada e alertada.

Nem todos a fazem, e é preciso fazê-la com muita tranquiliadade e paciência. São apenas cerca de 20 metros de subida, onde, para facilitar, basta seguir onde as pedras estão mais socadas, esses, os lugares mais fáceis para se subir.

Não é necessário ter feito aulas de escaladas para encarar esta subida. Caso sinta-se inseguro, não a faça. Se estiver sozinho, procure juntar-se a algum grupo para que garantam apoio se houver algum acidente. Eu , quando estava chegando ali, me encontrei com alguns grupos e acabei conversando com um deles, que me ofereceu apoio caso eu precisasse de alguma coisa.

Vamos deixar claro também que o intuito não é assustar. Carrasqueira não é nada de outro mundo e nem é super perigosa, apenas exxige que você o faça com cuidado.


Visão de cima da Carrasqueira.
A foto não dá uma boa noção da dificuldade dela não.
From Pedra da Gávea, RJ

Vencida a Carrasqueira você está quase lá! Agora basta subir só um pouquinho mais.
Depois da Carrasqueira, existe uma pequena planície e você passa por uma distinta floresta, bem em cima da montanha! (achei diferente). Mas não há mais mistérios, apenas suba, para ganhar a vista  das fotos  a seguir!

Ilhas vistas desde a Pedra (com zoom)
From Pedra da Gávea, RJ


Barra da Tijuca
From Pedra da Gávea, RJ
Quando você chegar ao topo da Pedra, não imagine que é apenas um pontinho lá em cima que você fica (eu fiava imaginando isso, pelo menos , rs). Lá em cima é uma planície grandinha com uns 3 pontos (principais) bons pra se tirar fotos. Chegando, a esquerda você tira as fotos para o lado da Barra da Tijuca, vendo todo o bairro. Mais pra frente, tem um ponto para o laod da Floresta da Tijuca. E do lado direito, a visão para o lado de Ipanema, Copa e o Cristo.


Praia de São Conrado
From Pedra da Gávea, RJ


Zoom sobre a Rocinha, com os Dois Irmãos ao lado.
Ao fundo a Lagoa Rodrigo de Freitas, aquela ponta ao fundo é o Pão de Açúcar
From Pedra da Gávea, RJ


Praia de São Conrado, com a pedra "dividida" ao lado.
Essa pedra é visível pelo Google Earth.
From Pedra da Gávea, RJ


Pedrinha famosa - trata-se da pedra onde as araras saltaram no filme Rio.
Não se chega a essa pedra por esta trilha não (deve ser outro passeio, ainda não conhecido).
From Pedra da Gávea, RJ

Para ir ao lado de onde se tira fotos da Barra da Tijuca existe um último obstáculo. Deve-se descer uma pedra que, sem ajuda de uma corda, seria impossível prosseguir. A corda ajuda a descer até a base. Logo depois ainda é preciso subir outra pedra - dessa vez sem ajuda de cordas - que pode demandar apenas como fazer o movimento (um pequeno bolder).


Esta é a corda utilizada para ir até o ponto onde as fotos anteriores foram tiradas
(O Ponto para tirar fotos da Barra da Tijuca).
Exige um pequeno esforço.
From Pedra da Gávea, RJ



Praia de São Conrado, aqui ja vista do lado em que se vê Ipanema mais de perto.
From Pedra da Gávea, RJ



Pedrão Lisa
From Pedra da Gávea, RJ









Melhor vista da Pedra, na minha opinião.
Nessa paisagem se vê: Dois Irmãos, Praia São Conrado, Praia de Ipanema, pequena parte da Praia de Cocapabana,
Favela da Rocinha, Lagoa Rodrigo de Freitas, Pão de Açúcar (bem ao fundo) e Corcovado (Cristo Redentor - bem pequeno)
From Pedra da Gávea, RJ


Fiquei muito maravilhado com a vista, fiquei cerca de 1h la em cima. Mas pequei em não pensar na volta. "Pra baixo todo santo ajudanão é um ditado que se aplica sempre." Para o caso de trilhas para picos quase nunca se aplica, pois descidas exisgem muito dos seus joelhos e pernas. Muito mesmo. e como a descida é constante, quando você tiver no último quilômetro vai estar xingando até a 5a geração.

Pra piorar um pouquinho, na volta eu me perdi no ponto confuso (marcado no mapa). Acho que fui influenciado por um grupo que ia na frente, e que virou numa certa direita que me fez ficar perdido. Dei umas boas voltas pela parte de pedras que tem por ali.

Foi só mesmo quando vi a pedra abaixo, que convencionei chamar de "Pedra George" foi que consegui achar o rumo novamente e voltei a trilha. Achei essa parte um pouco confusa.

A trilha de volta não tem muita sinalização visível, ponto esse que achei o ponto fraco da trilha!



Ponto marcado no mapa
PEdra Geroge, pode ajudar na orientação na volta. Vendo ela, você está no caminho certo.
From Pedra da Gávea, RJ

A princípio eu pretendia também passar pela floresta da Tijuca, mas acabei a trilha bem cansado. Dessa forma voltei direto pro albergue que estava ficando em Ipanema. Descansei um pouco a tarde, apesar do muito sol, e percebi que aquele dia era um dia especial pra assistir um dos maiores espetáculos dessa cidade.

O Rio de Janeiro é uma cidade maravilhosa. Quem te disser que não é, de duas uma: ou só conhece a cidade pelos telejornais (que ostram a parte ruim) ou essa pessoa deve ir ao hospício. É serio.

Rio de Janeiro, além de ser uma metrópole, é uma cidade com muitas opçõe de cultura e entretenimento. E isso durante o dia e a noite. Muitas baladas, de todos os gostos! Muitos bares. De dia , praias estarrecedoras de bonitas, muito calor, um mar gelado (muito gelado) e além disso trilhas com vistas lindas (e algumas cachoeiras também que em breve mostraremos).

Agora seja você uma pessoa complexa ou simples, não há como não gostar de um fim de dia na praia. Curtir o calçadão, pegar um resto de sol, andar de patins, skate, bicicleta, patinete, andar, correr, sentar num quiosque, tomar uma cerveja, um suco, uma água de côco, curtir as últimas ondas do mar que se amansa, sentir a areia nos pés, sentir a vibração da simples presença das pessoas. Isso é mais ou menos o que resume um fim de tarde no calor do verão de Ipanema e Copacabana.

Se você apenas quer ficar paradinho e se emocionar, pode assistir a um dos maiores espetáculos da face da Terra, que acontece todos os dias no fim de tarde em Ipanema.

Por do sol em Ipanema
From Pedra da Gávea, RJ

O espetáculo chama-se pôr do sol e o público o assiste todos os dias, da Praia, ou da Pedra do Arpoador (ao lado).
Não tem que levar nada, talvez apenas uma câmera fotográfica e a paz no bolso. Procure um lugarzinho (ao sol), uma pedra mais alta, ou sente-se no calçadão do Arpoador e sinta-se junto a todas as outras pessoas que vieram ali para simplesmente isso: ver o sol se pôr.

Os minutos que antecedem o fim do show são emocionantes, muitas pessoas correndo com a câmera em mãos procurando uma forma de se apoiar pra tirar a melhor foto do mundo. Cada qual fazendo suas poses, tentando pegar o sol com as mãos ou abocanhá-lo de alguma forma. De todas, o sol irá escapar, mas de uma forma singela.

Durante o espestáculo você uma variedade grande de espectadores: mulheres, homens, crianças, jovens, idosos, jornalistas, fotógrafos (amadores e profissionais), gringos, músicos, bicicletistas, corredores, jogadores de futebol. Muita gente tocando música. Nesse dia havia um  flautista tocando de clássicos a boleros e bossas-novas sentado no banco de praça no Arpoador, o sol se despede de forma impressionante, de frente a tantas pessoas que meio abobalhadas, ou simplesmente curtindo o momento estão ali, virados para ele.

No fim, esse impressionante protagonista, que apresenta esse monólogo mudo e cativante, é brindado com uma salva de palmas, isso mesmo, uma salva de palmas que faz dar emoção a um fim de tarde na praia, mesmo àquele mais insosso dos seres humanos. Dá orgulho estar ali presente, um sentimento conjunto de que a vida é impressionante, frente a uma coisa tão simples! Um pôr do sol! VocÊ sentirá gosto de viver. Não é preciso fumar uma coisa louca ou beber uma dose extraordinária para contemplar essa sensação. Só é preciso estar lá! Acredite se puder....


Não tem como achar a cidade mais ou menos, ou chata, ou perigosa, ao se ver um espetáculo desses. E você pode achar clichê ou exagero, mas se está achando isso, é porque ainda não esteve lá pra assistir esse espetáculo! Um indescritível (ainda que eu postasse todas as fotos e palavras do mundo) fim de tarde em Ipanema, não poderiam ser uma melhor forma de te fazer sentir vivo.

Por do sol acontecendo
From Pedra da Gávea, RJ


Fotos tiradas de desde o Arpoador, em Ipanema
From Pedra da Gávea, RJ


From Pedra da Gávea, RJ

O Rio de Janeiro merece tudo que se diz dele, oferecendo tanta beleza em um clima tão sensacional, o mínimo que poderíamos fazer é bater palmas para um fim de mais um dia.





Sol explodindo nas nuvens
From Pedra da Gávea, RJ


Praia ainda muito cheia logo após o pôr do sol.
From Pedra da Gávea, RJ


Logo após o pôr do sol - mais esportes
From Pedra da Gávea, RJ



O Encontro da Lua e do Sol Ipanema
From Pedra da Gávea, RJ
Um brinde a essa Cidada Maravilhosa, o Rio de Janeiro!

5 comentários:

MEGABLOG disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bruno disse...

Excelente post, estava esperando sair do forno a dias..
heheh..

Pretendo fazê-la esse ano ainda..
:)

Diego Bigliani Solamito disse...

Fala Bruno!

Brigadão! Espero que continue com a gente.
nas proximas semanas vou postar mais 2 trilhas do Rio! =D

Flavio Barboza disse...

Cara parabéns pelo post! Estou me programando para passar uma semana no RJ (fev/2014), e queria muito fazer alguma trilha, já havia decidido em fazer a trilha da Pedra da Gávea, mas estava com um pouco de receio, após ler o seu post bati o martelo. Vou subir este pico.

Grande abraço.

Diego Bigliani Solamito disse...

Fala Flavio,

bacana!

Espero que tenha sido legal o passeio!
abraço

Os Caçadores de Cachoeiras

Os Caçadores de Cachoeiras